Plano de Negócios X Modelo de Negócios: qual usar?

Se você tem uma ideia e está pensando em tirá-la do papel, talvez já tenha se perguntado por onde começar. Todo empreendedor, com maior ou menor conhecimento das técnicas de administração, sabe que planejar, montar um plano de negócios, é sempre uma boa forma de começar, certo? Bem, depende...


Muito se fala em Modelo de Negócios para startups, em especial do modelo Canvas.

Mas do que se trata? Qual a diferença entre um modelo e o outro? E a dúvida maior, quando usar um ou outro? Esta é uma dúvida muito comum. De forma objetiva, é isso que vamos abordar aqui e tentar simplificar.



Vai abrir um negócio do tipo “clássico”? Uma loja de roupas ou um café, por exemplo. Certo, o seu não tem nada de tradicional, vai ser diferente e você vai colocar em prática todas as ideias bacanas que estão fervendo em sua mente para diferenciar o seu negócio. Ok, ainda assim, podemos classificá-lo como um negócio “clássico”.


Por clássico, entende-se um empreendimento em um mercado em geral maduro ou bem conhecido, com produto e públicos também conhecidos, assim como seu comportamento de compras, fornecedores e demais players envolvidos. Como qualquer negócio, possui seu grau de incerteza, mas possui muitas certezas. Vejamos: o produto, no exemplo da uma livraria, é muito bem conhecido. Por isso, um plano de negócios também “tradicional” é o mais indicado.


O plano de negócios é um documento que descreve os objetivos e o caminho para alcançá-los. Define-se missão, visão e valores. O plano descreve quem é seu público alvo, onde ele se encontra e como conquistá-lo. Começamos fazendo uma análise de mercado para se identificar os clientes, concorrentes e fornecedores. Existem muitas técnicas e ferramentas que ajudam na elaboração do documento, como a análise SWOT- strengths (forças), weaknesses (fraquezas), opportunities (oportunidades) e threats (ameaças) -, a matriz BCG, do Boston Consulting Group (BCG), as 5 forças de Porter, dentre outras. Não é nosso objetivo aqui descrever cada uma destas ferramentas. Caso tenha interesse, não achará dificuldade em obter mais informações, visto que são amplamente difundidas. O plano de negócios deverá ser seguido pelo empreendedor e sofrer revisões de tempos em tempos.


E para aqueles negócios ditos “não tradicionais”, inovadores, que envolvem bem mais incertezas do que certezas? Estamos nos referindo ao ecossistema das startups, empreendimentos cercados de dúvidas. Ao contrário do que vimos antes, neste cenário não se tem certeza de nada. Perguntas muito básicas como qual problema tento resolver, qual meu produto/serviço final e quem são minhas personas (público alvo) não possuem respostas claras. Sim, planejar é importante, mas para este cenário de dúvidas temos um modelo relativamente novo de se pensar “planejamento”.


Estamos falando do Business Model Generation, também conhecido como Canvas, criado por Alexander Osterwalder e Yves Pigneur, que tem por objetivo encontrar o modelo de negócios ideal do empreendimento de forma rápida e ágil. Ele propõe um exercício para se chegar ao modelo final através de hipóteses iniciais, que serão testadas e, provavelmente, substituídas por outras, para novos testes. É um modelo vivo, que visa criar, entregar e capturar valor através de uma forma gráfica de se acompanhar os pontos mais importantes do negócio, conforme figura abaixo.



Ou seja, os modelos convencionais de planejamento se encaixam bem para um negócio em um mercado com histórico, no qual se consegue fazer algum tipo de previsão relacionada aos custos, preço, perfil da região e concorrentes etc., ainda que com todas os riscos envolvidos. Já o Canvas deve ser empregado em empreendimentos cercados de dúvidas por todos os lados, sem histórico, envolvendo, muitas vezes, soluções disruptivas, com hipóteses ainda a se provar e boa probabilidade de pivotagem, isto é, mudança parcial ou total da ideia original.


Quer conhecer mais sobre o Canvas? A Sai do Papel ajuda as startups a desenvolverem seu modelo de negócios ágil e apresenta este e outros conceitos do ecossistema empreendedor em seus Programas de Pré-Aceleração e Aceleração. Para mais informações acesse www.saidopapel.com.br


Alex O’Grady

Head of Acceleration

Sai do Papel

299 visualizações
whatsapp (4).png